terça-feira, 16 de julho de 2024

POESIA: DEUS QUER UMA IGREJA MÃE - 16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

POESIA DO 16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

DEUS QUER UMA IGREJA MÃE

 

Diante da multidão perdida

Sem rumo e sem pastor

Deus é amor e acolhida

Partilha e comunhão

Ele chama e nos ensina

O poder da vida em missão

Dar a vida pelas ovelhas

Resgatar as que foram perdidas

Da mãe Igreja, eis a grande missão

 

(JEREMIAS 23,1-6)

O profeta Jeremias

Recebeu uma grande missão

Proclamar aos falsos pastores

De Deus o aviso e as determinações

Por dispersarem minhas ovelhas

Por não se ocuparem delas

Vou ocupar-me de vós

Pedir contas das vossas ações

Vou expulsar-vos e castigar-vos

 

Meu povo não desesperem

Sou o Deus de vossos pais

Aquele que caminha convosco

Vos darei novo pastor

Que governará com sabedoria

Implantará o direito e a justiça

Vos trará de volta ao Templo

Vivereis em segurança

O seu nome será nossa justiça

 

(EFÉSIOS 2,13-18)

De um povo que estava longe

Afastados e divididos

Julgados e condenados

Por uma religião de outros projetos

Cristo com o seu Sangue

Nos tornou uma só nação

Unindo Judeus e gregos

Levando consigo a inimizade

Dando-nos a paz e a comunhão

 

Em Deus não habita inimizade

E a morte não tem morada

O ódio e a discriminação

Na Cruz foram derrotados

Ao dar sua vida por nós

Ao nos resgatar do pecado, mas

Como entender padres e pastores

Construindo divisões e inimizades?

São lobos vestidos de cordeiros.

 

(MARCOS 6,30-34)

Naquele tempo os apóstolos

Voltaram da grande missão

Relataram a Jesus Cristo

O que ensinaram e fizeram

Vamos a um lugar isolado

Vinde comigo e descansai

Mas a grande multidão

Que buscavam a Jesus

Correram e chegaram primeiro

 

Ao ver aquela multidão

Abandonadas e sem pastor

Ali junto com os apóstolos

Acolhe todos em comunhão

Mais um ensinamento é dado

Para quem assume a missão

Às vezes mudamos o projeto

O caminho e a direção

Quando a prioridade é o irmão

 

A humanidade tem o rosto

Desfigurado pela exploração

Afastados do banquete

Lhes negam participação

Vivem a miséria e a fome

A mendigar um pedaço de pão

Mas Jesus vem e revela

Que a missão evangelizar

Não aceita discriminação

 

A multidão não tem rosto

A multidão não tem cor

Ela busca o rosto de Cristo

No rosto de cada irmão

Assim o missionário precisa

Ser de Deus revelação

Ser justiça e direito

Misericórdia e comunhão

De Deus a libertação


Gaspar Moreira 21.07.2024

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B                                                                                    LEITURA PARA 21.07.2024                                                                                                           TEMA: DEUS QUER UMA IGREJA MÃE ACOHEDORA

Diante da multidão perdida, sem rumo e sem pastor, Jesus revela amor, acolhida e compaixão e ensina aos apóstolos, que a missão do evangelizador, é da dar a vida pelas ovelhas que foram abandonados pelos sacerdotes de Israel. Muitos representantes da fé, preferem ficar do lado do poder e abandonam o seu povo.  

1ª LEITURA – JEREMIAS 23,1-6

Diz o Senhor: Ai dos pastores que perdem e dispersam as ovelhas do meu rebanho! Por isso, assim fala o Senhor, Deus de Israel, aos pastores que apascentam o meu povo: Dispersastes as minhas ovelhas e as escorraçastes, sem terdes cuidado delas. Vou ocupar-me de vós e castigar-vos, pedir-vos contas das vossas más ações. Eu mesmo reunirei o resto das minhas ovelhas de todas as terras onde se dispersaram e as farei voltar às suas pastagens, para que cresçam e se multipliquem. Irmãos e irmãs, Deu fez a promessa de nos dar pastores justos e honestos.  Ele nos enviará um pastor que governará com sabedoria, que implantará no país o direito e a justiça. Salvará seu povo e Israel viverá em segurança. O seu nome será a nossa justiça.

2ª LEITURA – EFÉSIOS 2,13-18

Foi em Cristo Jesus que vós, outrora longe de Deus, vos aproximastes dele, graças ao sangue de Cristo. Cristo é, de fato, a nossa paz. Foi Ele que fez de judeus e gregos um só povo e derrubou o muro da inimizade que os separava,
anulando, pela imolação do seu corpo, a Lei de Moisés com as suas prescrições e decretos. Pela cruz reconciliou com Deus uns e outros, reunidos num só Corpo, levando em si próprio a morte á inimizade. Cristo veio anunciar a boa nova da paz, paz para vós, que estáveis longe, e paz para aqueles que estavam perto. Por ele, podemos nos aproximar do Pai, num só Espírito. Irmãos e irmãs, em Deus, não existe separação e inimizade. Em Deus não existe a discriminação de espécie alguma. Deus é comunhão e partilha. Deus é o direito e a justiça. Deus é um só e Pai de toda a humanidade. Em Deus, somos chamados a sermos um. Se Deus rompeu as barreiras das inimizades e das divisões, porque tantos padres e pastores, continuam a trabalhar a segregação? Porque igrejas trabalham tanto o ódio político e esquecem da misericórdia, do perdão e da acolhida? Cuidado com os falsos pastores. São lobos que destroem o rebanho.

EVANGELHO – MARCOS 6,30-34

Naquele tempo, os Apóstolos voltaram para junto de Jesus e contaram-Lhe tudo o que tinham feito e ensinado. Então Jesus disse-lhes: Vinde comigo para um lugar isolado e descansai um pouco. De fato, havia sempre tanta gente a chegar e a partir que eles nem tinham tempo de comer. Partiram, então, de barco para um lugar isolado, sem mais ninguém. Vendo-os afastar-se, muitos perceberam para onde iam; e, de todas as cidades, acorreram a pé para aquele lugar e chegaram lá primeiro que eles. Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e compadeceu-se de toda aquela gente, que eram como ovelhas sem pastor. E começou a ensinar-lhes muitas coisas. Irmãos e irmãs, a vida do missionário e missionária, é de ajudar a concretizar a missão de levar a Boa Notícia, ajudar a concretizar a realização da verdade, da justiça e da paz. Ajudar e realizar a acolhida, a participação nos mistérios do amor e do poder de Deus. Ajudar na concretização da participação no banquete de comunhão com o Pai. Para que este projeto de amor e salvação possa acontecer, precisamos estar em estreita comunhão com Jesus. São muitos os desafios a serem enfrentados, por aqueles que abraçam a missão. A humanidade tem o rosto cada vez mais desfigurado, pelo monstro da economia global, que devora a vida e as forças dos que trabalham, gerando riquezas imensas por um lado e de outro, vai gerando misérias profundas na imensa maioria da população. A humanidade tem o rosto desfigurado por modelos de igreja, que vão se afastando da vida do Evangelho e passam a alimentar alianças políticas, que a exemplo tempo dos sumos sacerdotes, vão afastando as pessoas da vida da igreja, classificando-as em pecadoras e afastando-as do convívio na comunidade de fé. A humanidade tem o rosto desfigurado, por aqueles que gerem as políticas publicas de saúde, educação e alimentar. Geram políticas de dependência, onde a pessoa perde a capacidade de trabalhar pela construção da própria liberdade e se tornam massa de manobra, que são usadas a cada quatro anos, para manterem a situação de dependência e de mendicância. A humanidade tem o rosto desfigurado, por muitos que se tornam aves de rapina, e utilizam do comércio dos vários tipos de conteúdos que tornam a pessoa plenamente dependentes, sejam no mundo das drogas ou mesmo dos controles das mentes e da vida pela internet. Ainda hoje, homens e mulheres caminham como ovelhas sem pastor. Aqui está a nossa missão: trabalhar em todas as realidades, para que haja um só pastor e um só rebanho. Precisamos trabalhar a unidade, trabalhar a comunhão, trabalhar a misericórdia, trabalhar para que a igreja seja a casa comum, onde todas sintam acolhidos, amados e valorizados. Onde todas sintam que fazem parte da mesa do Pai.

Gaspar Moreira 21.07.2024

segunda-feira, 8 de julho de 2024

A MISSÃO DO MISSIONÁRIO

 A MISSÃO DO MISSIONÁRIO

 

A MISSÃO DO MISSIONÁRIO

É de evangelizar

Nas Palavras do Senhor

Os caminhos apontar

 

MISSIONÁRIO VEM PRA ESTRADA

Vamos juntos visitar

As famílias nos esperam

É Jesus quem vai falar

 

MISSIONÁRIOS DEUS TE CHAMA

Vamos desacomodar

Sacode toda poeira

Que te impede de avançar

 

MISSIONÁRIO TUA MISSÃO

Da justiça implantar

O direito ao povo pobre

Em vida nova transformar

 

MISSIONÁRIO É COMUNHÃO

Vida nova a partilhar

Visitar comunidades

A Boa Nova trabalhar

 

MISSIONÁRIO É PARTILHA

Vamos juntos resgatar

No poder de sua Palavra

Os deitados levantar

 

MISSIONÁRIO É PODER

Que destrói a confusão

Pra vencer força das trevas

Na luz da Ressurreição

 

MISSIONÁRIO É IGREJA VIVA

Que caminha para irmão

Ser Igreja em saída

Pra vencer a escravidão

 

MISSIONÁRIO É JESUS CRISTO

No caminho dos irmãos

Contra as negações da vida

Trazendo a Libertação

 

Gaspar 04.05.2024

POESIA: O PODER SOBRE OS ESPÍRITOS - 15º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

POESIA: O PODER SOBRE OS ESPÍRITOS                                                                                                                              15º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

 

1ª LEITURA – AMÓS 7,12-15

Nosso Deus é presença viva

Na história da humanidade

Escolhendo homens e mulheres

Os enviando na Santa Missão

Para anunciar e denunciar

Apontando os novos caminhos

Que seu povo deve seguir

Espalhando o poder da Graça

De amor e de misericórdia

 

Naqueles dias Amasias

Sacerdote de Betel

Aproximando-se de Amós

Um recado vai lhe dar

Em Betel não és bem vindo

Foge para outra região

Vai pregar nas terras de Judá

Anunciaras para teus irmãos

Lá ganharás o teu pão

 

Peço-te que me escutes

Uma história vou contar

Cuidava de meu rebanho

Sicômoros estava a culivar

Guardava os meus rebanhos

Não sabia anunciar

Não sou filho de profeta

Mas o Senhor veio até mim

E disse: agora vais profetizar

 

Minha missão é espinhosa

Anunciar a sacerdotes a conversão

Trazer meu povo de volta

Libertá-los da escravidão

Plantar a fidelidade

Numa nação infiel

Semear a misericórdia

Aos que se afastaram da lei

Voltem meu povo ao Senhor

 

2ª LEITURA – EFÉSIOS 1,3-14

Paulo vem nos revelar

Os mistérios da salvação

Nos recorda que pertencemos

Ao Deus da libertação

Não podemos esquecer

Que somos o povo do Senhor

Que nos escolhe e nos envia

A sermos a sua revelação

Deus é a nossa Redenção

 

Paulo recorda a todos

Que muitos esquecem o irmão

Se enchem de orgulho e soberba

Querem ser donos da criação

Exploram e escravizam

Renegam a comunhão

Esquecem da caridade

Destroem a vida de Perdão

E vão negando a Revelação

 

Nunca devemos esquecer

Que somos filhos de Deus

Que com todas as bençãos

Nosso Deus nos agraciou

No mistério de Cristo Redentor

Nos remiu de todos os pecados

Fazendo-nos os herdeiros

Do Reino Eterno do Pai

Nos Dons do Espírito Santo

 

EVANGELHO – MARCOS 6,7-13

Chamando os doze discípulos

Foi enviando dois a dois

Dando-lhes a força e o poder

Sobre os espíritos imundos

Vão despojados para o anúncio

De alfoje, pão e dinheiro

Que fossem com simples chinelas

Que não vestissem duas túnicas

Partissem livres a evangelizar

 

Vão visitar de casa em casa

Todos precisam da Palavra

Preguem o arrependimento

Expulsem todos os demônios

Vão ungindo todos os enfermos

Curando de todos os males

Com a força da Palavra

Implantem a libertação

Para a grande Comunhão

 

A missão dada por Jesus

De anunciar o Reino de Pai

De não se colocar a serviço

Dos esquemas que geram a morte

Libertar os irmãos das cegueiras

Que o mal tenta implantar

Buscar e acolher os pecadores

Para juntos na casa do Pai

Celebrar, Vida Ressurreição

 

Gaspar Moreira 14.07.2024

 

 

 

 

 

 

 

 

 

15º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

15º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B                                                                    LEITURA PARA 14.07.2024                                                                                                                      TEMA: O SENHOR OS ENVIOU E DEU-LHES PODER SOBRE OS ESPÍRITOS

Deus é presença viva no mundo e na história da humanidade. Ele escolhe e envia homens e mulheres para a missão de anunciar e denunciar. Por meio de seus escolhidos, Deus aponta os  caminhos e a direção a seguir. Derrama sobre os escolhidos, poder e graça de libertação. Os missionários do Senhor, são para a humanidade, sinais do amor, da misericórdia e da comunhão

 1ª LEITURA – AMÓS 7,12-15

Naqueles dias, Amasias, sacerdote de Betel, disse a Amós: Vai-te daqui, vidente. Foge para a terra de Judá. Aí ganharás o pão com as tuas profecias. Mas não continues a profetizar aqui em Betel, que é o santuário real, o templo do reino. Amós respondeu a Amasias: Eu não era profeta, nem filho de profeta.
Era pastor de gado e cultivava sicômoros. Foi o Senhor que me tirou da guarda do rebanho e me disse: Vai profetizar ao meu povo de Israel. Irmãos e irmãs, a missão de Amós, é cheia de espinhos. Ele precisa profetizar dentro do covil  dos sacerdotes pagãos. Amós denuncia o culto sem amor, sem misericórdia e sem compaixão. Amós revela, que não podemos ser vistos como servos do Senhor, buscando impor planos políticos de interesse de um grupinho de exploradores que buscam fazer com que pareça vontade de Deus e interesse de todos. Não podemos ser aliados e nem servos dos esquemas de injustiça.

2ª LEITURA – EFÉSIOS 1,3-14

Bendito seja Deus, que nos abençoou com toda a espécie de bênçãos espirituais em Cristo. Em Cristo nos escolheu, antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, em caridade, na sua presença. Ele nos predestinou, de  sua livre vontade, para sermos seus filhos. Nele temos a redenção, a remissão dos pecados. Ele deu-nos a conhecer o mistério da sua vontade. Em Cristo fomos constituídos herdeiros. Nele abraçastes a fé e fostes marcados pelo Espírito Santo prometido. Irmãos e irmãs, Paulo vem nos revelar os mistérios da salvação e nos recordar, que pertencemos a Deus e fomos destinados para o seu serviço. Não podemos nos esquecer que Deus nos escolhe e nos envia para sermos santos e irrepreensíveis, em caridade e na revelação da redenção e remissão dos pecados. Somos assim, chamados a ser no mundo a revelação da graça, do amor e do poder de Deus, que visita seu povo pelos caminhos da Galiléia das nações, que os reune em tornos da mesa no banquete e que dá a todos, a remissão do pecados.

EVANGELHO – MARCOS 6,7-13

Jesus chamou os doze e começou a enviá-los a dois e dois, e dando-lhes poder sobre os espíritos imundos. Ordenou-lhes que nada tomassem para o caminho, senão somente um bordão.  Nem alforje, nem pão, nem dinheiro no cinto. Mas que calçassem sandálias e que não vestissem duas túnicas. E dizia-lhes: Na casa em que entrardes, ficai nela até partirdes dali. E tantos quantos não vos receberem, nem vos ouvirem, saindo dali, sacudi o pó que estiver debaixo dos vossos pés, em testemunho contra eles. Em verdade vos digo que haverá mais tolerância no dia de juízo para Sodoma e Gomorra, do que para os daquela cidade.  E, saindo eles, pregavam o arrependimento. Expulsavam muitos demônios, ungiam muitos enfermos com óleo e os curavam. Irmãos e irmãs, Jesus inicia uma nova etapa da Missão, aos enviar dois a dois os seus discípulos. A missão dada por Jesus, consiste em anunciar o Reino de Deus, que é trabalhar, contra tudo aquilo que ameaça a vida e a felicidade dos homens. Os enviados de Deus, não podem se colocar a serviço dos poderes, que destroem e matam e que se alimenam da ganância. Ao sair em missão, o servo de Deus deve se despojar de todas as seguranças do alforje, do pão, do dinheiro no cinto. Devem ir de maneira simples e despojada, como é a vida do próprio povo a ser visitado, ou seja,  que calçassem sandálias e que não vestissem duas túnicas. O nosso testemunho deve aparecer até na maneira simples do vestir e do falar. O missionário, é enviado a trabalhar contra a ação dos que se deixam dominar pelos espíritos imundos. É preciso afastar da vida da igreja e da vida do povo de Deus, a servidão ao espírito do mal. A missão, é de ungir o povo de Deus contra a ação do mal  e os libertar das cegueiras que o inimigo de Deus vai espalhando sobre as pessoas. A missão que o Senhor confia a seus discípulos, é de acolher os pecadores. Jesus dizia: os que estão são, não precisam de médico. Aqui dá muito bem para entender, que a nossa missão não pode rejeitar as pessoas, por que alguns padres e pastores, os rotulam como pecadores e os afastam  da mesa do Senhor. Jesus não olhava a condição social em que a pessoa estava jogada. Jesus olhava a pessoa que precisava ser resgatada e colocada de volta na vida do templo e na vida da espiritualidade. Muitos ainda hoje, tomam posse da espiritualidade e classifica quem pode e quem não pode fazer parte da comunhão e do convívio com o Senhor. Jesus ao enviar os discípulos, deixa muito claro, ide às ovelhas esquecidas, afastadas e impedidadas de estarem em comunhão. Expulse os demônios estão tentando matar a misericórdia, o perdão e a comunhão. A exemplo de Jesus, a nossa missão, é acolher os pecadores e aqueles que a sociedade condenava. Somos enviados para trabalhar pela construção de um só rebanho e um só pastor. Não podemos nos colocar a serviço da divisão. A igreja, não pode se colocar a serviço de um representate político, como faziam os Sumos Sacerdotes. A nossa missão, é de fidelidade ao Evangelho. A nossa Missão é de trabalhar o perdão e a misericórdia. A nossa missão é de trabalhar a comunhão e a partilha. Somos escolhidos, chamados e enviados por Deus, para ajudar a construir o banquete da salvação e da vida eterna.

Gaspar Moreira 14.07.2024

Gravação - 16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

  https://youtu.be/iNacxTRpxbI?si=uIgFHlZig-Hgs0S5